Archives for Blog

PONTOS A CONSIDERAR EM UMA REFORMA

Olá, você está em busca de reformar sua casa ou seu escritório? Saiba que existem alguns pontos muito importantes a serem considerados em uma reforma!

Entenda melhor a seguir!

Defina um orçamento

Uma coisa é certa, se você não definir e for por impulso, rapidamente pode investir muito além do que pensou!

O correto antes de você começar uma reforma é conversar com especialistas, pois a partir disso, você terá todas as indicações necessárias de quantidades de materiais, tipos, ambientes, dimensões, entre outras questões que no final das contas, influenciarão na quantidade de verba a ser destinada à obra.

Quanto mais bem amparado e instruído você estiver nesse sentido, melhor, pois terá a condição de desenvolver um projeto bonito e dentro dos parâmetros financeiros desejados.

Pense em até quanto você poderá investir na reforma da cozinha ou na reforma do quarto ou na reforma do banheiro, entre outros.

Manter ou mudar?

Observe o que dá para manter – pensando em economizar, por exemplo: manter a mesma pia, investir em acessórios ou mudar a cerâmica. Veja o que é necessário para deixar o ambiente como sempre sonhou, exemplos:

  • Mudar a parte do chuveiro e box.
  • Colocar outros acessórios de banheiro.
  • Entre outros.

Consulte especialistas da área

Se você está planejando uma reforma, entre em contato com engenheiros e arquitetos para saber mais sobre as necessidades e regulamentos importantes sobre reforma e construção.

Normas municipais para reformas ou crescimento de um ambiente

Alguns municípios podem ter exigências especificas nesse sentido, principalmente quando falamos de expandir a obra ou de construir mais um acesso dentro de casa.

Construtores experientes e inspetores de construção qualificados podem aconselhar sobre as suas maiores necessidades diante da obra.

Pense no prazo da sua obra: qual o tempo estimado para a execução?

Atrasos podem ser irritantes e caros. É por isso que, antes de reformar a sua casa, vale a pena pensar no tempo que poderá ser despendido na obra.

Defina o tempo que deverá ser gasto em cada etapa da obra e cuide para que esse cronograma seja executado da melhor forma possível. Se a obra ficar parando o tempo todo, com toda certeza você terá dificuldades em finalizar a reforma em tempo hábil, por isso, garanta todo o material necessário e defina todas as alterações que serão feitas no ambiente antes de começar a obra.

Elementos a serem usados na reforma

Imagine todos os elementos de uma sala antes de começar… ou talvez do quarto que você vai reformar… o que você deseja que tenha em cada um desses ambientes?

Você deseja algo mais amplo ou compactado?

Se você vai investir dinheiro em uma reforma, você quer que tenha uma aparência fabulosa. Correto? Então busque referências e modelos que se adequem à sua realidade.

Espaços a serem usados na reforma

Decida desde o início como você deseja que cada espaço seja. Um designer de interiores ou decorador pode ajudar a definir seu estilo da reforma e torná-lo realidade, dando-lhe orientação ao longo do caminho.

Isso inclui trabalhar com um orçamento desejado, usando desenhos, painéis de amostras para criar o visual que você deseja, entre outros pontos.

Você também pode buscar referências de decoração e estilo para ter outras inspirações. Escolha um ou dois itens principais e construa suas opções de design em torno das suas preferências.

Se precisar de auxílio na escolha dos itens para a sua reforma, nós da loja Campeão da Construção estamos aqui para ajudar. Visite uma de nossas lojas.

Leias Mais

CONHEÇA ALGUNS TIPOS DE FUNDAÇÕES EM OBRAS

Será que você entende todas as necessidades estruturais de uma obra? Bom, se você chegou até aqui fique bem informado sobre alguns tipos de fundações em obras.

Importância dos tipos de fundações em obras

As fundações são partes de grande relevância, já que são elas que garantem a estabilidade da edificação.

Essas fundações receberão diversas cargas, e por isso, entender como funciona e quais benefícios trazem cada tipo de fundação, se torna interessante para quem vai construir ou ainda para quem está reformando ou construindo.

O que interfere na escolha do tipo de fundação?

  • Estudo do solo: perfil e características
  • Topografia da região: descrição exata dos pormenores do terreno como região, geografia e topologia.

Quais são os tipos de fundações existentes:

  • Fundações rasas.
  • Fundações fundas.

Explicações das fundações rasas

Normalmente, uma fundação rasa é aquela que é mais larga do que profunda. As fundações rasas também podem ser chamadas de fundações abertas, diretas ou ainda superficiais.

Por razões óbvias, as fundações rasas são as mais econômicas. Elas não requerem muito na escavação do solo ou na perfuração da terra, e por isso, são as mais comuns. São úteis quando o edifício não é excessivamente difícil ou pesado e quando o solo pode suportar uma quantidade significativa de peso em uma profundidade rasa.

Fundação rasa tipo sapata isolada

Nesse tipo de base, o formato presente será retangular ou quadrado. O topo por sua vez, pode ser reto, ou também pode ser em forma de pirâmide. Nesse tipo em especial, a distribuição do peso é melhor e se dá pelas colunas. Sendo ideal para solos resistentes e mais firmes.

Fundação sapata corrida

Na fundação sapatada corrida a distribuição da carga é linear. Assim, são colocadas estruturas de concreto que são armadas e distribuídas abaixo das paredes. Essa fundação é indicada para piscinas, muros, reservatórios e pequenos vãos.

Fundação tipo radier

A fundação tipo radier é indicada para aqueles solos que são de baixa resistência. A estrutura se parece com uma espécie de laje de concreto (pretendido ou armado), que fica em contato com o solo. Fica abaixo da construção da obra, o que faz com que a carga seja distribuída uniformemente.

Fundação de viga baldrame

É um tipo de estrutura feito com viga e que geralmente é combinada a sapatas isoladas. Proporciona melhor distribuição do peso para o solo. As vigas ficam na parte debaixo do nível do solo e percorrem todos os cumprimentos das paredes, se conectando as sapatas.

Explicação das fundações fundas

São necessárias fundações profundas ao construir estruturas sobre areia e demais solos mais macios. Esse tipo de fundação é conhecido como indireta também, e exige uso de equipamentos. Alguns tipos de construções que necessitam dessas fundações são:

  • Pontes, píeres, barragens, alicerces debaixo d’água.

É aqui que fundações profundas se tornam essenciais para a construção de grandes estruturas.

Fundações profundas com estacas

Se trata de uma estrutura comprida, extensa, no entanto, menor nas regiões transversais. Esse tipo de fundação pode ser feito dos seguintes materiais:

  • Madeira
  • Aço
  • Concreto

Fundações profundas com tubulações

São feitas de cilindros sob ar comprimido ou por meio de céu aberto. Podendo serem escolhidas bases estreitas ou mais alargadas. Pode conter revestimento de aço ou concreto.  Nesse caso, os operários terão de descer para realizar o serviço de tubulação.

Fundações profundas com caixões ou caixas

Será necessário para este tipo, realizar uma escavação interna, podendo utilizar ar comprimido. As caixas ou caixões deverão ter a capacidade de bombear água. Frequentemente são usados nesses casos, por perfuradores de petróleo offshore para recircular água contaminada. Usados mais em obras marinhas.

Pode ser utilizada uma caixa oca de concreto com fundo e laterais que será submersa e, posteriormente, preenchida com concreto.

Portanto, somente conversando com um especialista em engenharia civil, será possível saber qual a melhor fundação de acordo com tamanhos, localização e desafios geotécnicos. A decisão de construir fundações rasas ou profundas terá de ser estudada pelo profissional capacitado da área.

Viu como são muitos tipos de fundações e como é importante você está bem informado quanto a sua obra ou construção?

Nós do Campeão da Construção queremos te manter informado sobre este e outros temas importantes para sua construção, então não deixe de nos acompanhar em nosso blog e redes sociais.

E se precisar de ajuda na compra dos materiais para a sua obra, somos especialistas do material básico ao acabamento! Faça-nos uma visitar!

Leias Mais

TIPOS DE FORROS MAIS UTILIZADOS

Será que você sabe quais são os tipos de forros mais utilizados?  

Veja a seguir mais informações sobre os tipos de forros mais utilizados  para deixar o seu teto incrível, afinal, chegar em casa e poder apreciar seus cantinhos prediletos é maravilhoso, não é mesmo? Imagine poder se acomodar no sofá e olhar para o teto… tão bonito, tão arrumado, que acabamento incrível!

Tudo em sua casa combina, e então você se sente no paraíso. Seu lar sempre será seu porto seguro e não se trata de romantizar, mas sim de ter o melhor para sua rotina e seu descanso. Consegue perceber isso?

E quando falamos em tetos, é claro que os forros sempre são muito interessantes para o visual dos ambientes. Portanto, que tal conferir hoje, o que nós da loja Campeão da Construção trouxemos para você?!

O que você verá neste artigo?

  • O que são forros e para que servem?
  • Tipos de forros e benefícios dos forros.

O que são forros e para que servem?

O forro é um tipo de composição arquitetônica que possui a função de diminuir a acústica do ambiente, bem como permite esconder instalações de forma a promover, também, isolamento térmico e maior beleza ao local.

Por meio dos forros, os ambientes se tornam mais aconchegantes e trazem detalhes arquitetônicos elegantes e modernos.

Mas quais são os tipos de forros mais comuns que existem?

Tipos de forros e benefícios dos forros

Os dois mais comuns são os feitos com PVC e gesso e ambos possuem diversos benefícios, como:

Forros de PVC

Se você quer rapidez, economia e que seja fácil de limpar, o forro de PVC é o mais indicado. Pois ele pode ser utilizado em salas, banheiros, quartos, entre outros.

 E o forro em gesso?

O gesso é um material de baixo custo, possui vantagens também, como isolamento acústico, facilidade da manutenção e fica perfeito quando instaladas iluminações, pois traz um aspecto elegante e diferenciado.

Tipos de Forros em Gesso

Existem 3 estilos, são eles:

  • Gesso tradicional, gesso acartonado e o gesso drywall.

O gesso tradicional em placas que são fixadas por arames e massa para gessos.

O gesso acartonado possui em sua composição gesso e outros aditivos – que o torna mais resistente. A aplicação é simples: basta instalar os apoios metálicos e logo depois encaixar as placas nessa estrutura. Normalmente é usado um rejunte entre as placas, podendo ser pintada logo após.

Já o gesso drywall possui, em sua composição, gesso mineral, papel e às vezes, alguns outros produtos, a depender da marca. Esse último é bem requisitado – já que permite maior durabilidade e proteção acústica.

Outros tipos de forros

Além dos já citados, também existem outros, como:

  • Forro de madeira– combina com diversos estilos de decoração, do clássico ao rústico, porém tem maiores custos a depender do tipo da madeira e sua espessura.
  • Forro de cimento aparente – esse tipo combina muito com o conceito de design de estilo industrial eo benefício é que dispensa pinturas, sendo bem resistente a umidade.

Essas são algumas ideias que trouxemos hoje para você!

Se você necessitar de ajuda em sua construção ou reforma, vem conversar com um de nossos especialistas. Ficaremos muito felizes em te orientar na compra dos acabamentos de primeira qualidade!

Leias Mais

QUAIS SÃO OS TIPOS DE ARGAMASSAS EXISTENTES?

Muitas pessoas não fazem ideia de quais argamassas precisarão na hora de construir, você sabia por exemplo que são inúmeros tipos de argamassas que possuem finalidades específicas? Veja a seguir mais informações.

O que você verá nesse artigo sobre tipos de argamassas?

  • O que é argamassa?
  • Para que serve a argamassa?
  • E tipos de argamassas.

O que é argamassa?

A argamassa é um tipo de cimento feito de areia, cimento, e em alguns casos, também são adicionados outros aditivos.

Para que serve a argamassa?

A argamassa têm como função unir blocos, servir de revestimento para paredes, assentar pisos e cerâmicas, rejuntar calçadas ou outros produtos, entre outras aplicações.

Tipos de argamassas:

Os tipos mais comuns de argamassas são:

  • Argamassa para assentamento.
  • Argamassa para revestimento.
  • Argamassa colante.
  • Argamassa de rejuntamento.

Cada um desses tipos possui funções especificas. Veja a seguir.

Argamassa para assentamento

Trata-se de um tipo de argamassa com a finalidade de unir estruturas diversas. Existem alguns tipos prontos no mercado, como a estabilizadora, que possui a função de retardar a hidratação do cimento, ajudando a reduzir desperdícios.

Outro tipo de argamassa para assentamento é a polimérica em bisnaga, que permite boa união entre blocos, ajudando na vedação, tendo um rendimento bem interessante e facilitando a rapidez no assentamento dos blocos.

Argamassa para revestimento

O tipo de argamassa para revestimento tem a função de cobrir estruturas, dar rugosidade ou ainda corrigir defeitos. Para essa argamassa pode ser feito o chapisco em paredes para melhorar a aderência na alvenaria.

Um outro tipo é a argamassa para reboco, que tem a finalidade de corrigir as imperfeições e é mais consistente, o que permite trazer melhores resultados para o visual da parede.

Argamassa colante

A argamassa colante é feita de cimento Portland, mais polímeros que permitem adesividade. É importante para este tipo de argamassa, sempre verificar as especificações dos fabricantes.

Ela é ideal para assentamentos de pedras, de porcelanatos, de cerâmicas, entre outros materiais. Possui alta aderência e excelente capacidade de reter água.

Existe uma infinidade de tipos destinados ao assentamento de porcelanatos, cerâmicas e etc. exemplos: AC I, AC II, AC III, interno, externo, para porcelanato, piso sobre piso e etc.

Argamassa de rejuntamento

As argamassas de rejuntamento servem para preenchimentos, sejam de peças ou de vãos e brechas. Possui pigmentação diversa e traz melhor acabamento. É justamente a argamassa de rejuntamento que vai servir para cobrir os espaços entre cerâmicas/porcelanatos.

Ela pode ser comprada pronta, sendo necessário em algumas marcas, apenas a adição de pouca água.

Agora, se precisar de mais dicas ou de ajuda em sua construção ou reforma, converse com um de nossos especialistas, pois ficaremos muito felizes em te atender.

Siga-nos em nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.

Conheça também nossos outros artigos!

Leias Mais

FORMAS DE SE MANTER NO ORÇAMENTO AO DECIDIR CONSTRUIR

Olá, hoje temos um assunto para aumentar os seus conhecimentos: Formas de se manter no orçamento em uma obra!

Vamos entender melhor esse assunto?

A importância de se planejar com um orçamento de obras na construção civil

Uma previsão correta dos custos, permite melhorar os processos para a realização do projeto de acordo com o desejado. E obviamente, muito além do que números, é necessário compreender os detalhes e os desafios da obra, para estar ciente das reais demandas.

Por isso é importante entender cada etapa para se fazer um bom planejamento orçamentário de obras. (Técnica de SEO – a estrutura não deve ser mudada)

Assim, as melhores ferramentas logísticas só podem ser geradas dessa forma, visando assim:

  • Fornecimento de matéria-prima adequada e em quantidades realmente necessárias na obra;
  • Boa execução do projeto;
  • Redução de desperdício na construção civil;
  • Maior economia na construção civil e em questões de materiais.

O que deve conter nos cálculos de uma obra?

  1. Materiais necessários – Ferramentas, matéria-prima, componentes e produtos.
  2. Mão de obra qualificada – Valor do trabalho dos profissionais contratados.
  3. Encargos legais – Taxas, impostos e demais encargos relacionados à execução da obra.

P.S – Nesse caso, é preciso consultar um engenheiro e arquiteto, pois a depender da estrutura e demandas particulares de cada obra, podem haver variações.

  1. Entre outros a depender das demandas em particular que podem ser melhor orientadas por um engenheiro e/ou arquiteto.

Tipos de orçamentos numa obra

Existem 3, são eles:

  1. Estimativa de custo;
  2. Orçamento preliminar;
  3. Orçamento analítico;

Na estimativa de custo, é possível se aproximar de um valor, mas esse pode não ser um cálculo exato, pois a base vem de projetos e custos anteriores (nesse passo, é recomendado que o engenheiro e o arquiteto com suas experiências tragam esses números ao cliente, já que ele, se for a primeira obra, não terá noção, nem base alguma).

Nessa etapa os valores podem se modificar a depender dos preços atuais de mercado e produtos.

No orçamento projeto preliminar, são definidos valores mais próximos, de acordo com as quantidades e custos de acordo com o tipo de projeto selecionado.

No orçamento analítico, é a forma mais detalhada. Aqui os cálculos se baseiam em:

Quantidades de materiais necessários.

– Equipamentos: tipos de equipamentos e máquinas. Essa parte somente em conversa com o arquiteto e engenheiro é que se poderá realmente ter certeza de tudo o que será necessário, a depender da obra Exemplos:

  • Betoneira, trator, sistema de transmissão hidrostática e etc.

– Mão de obra: quantos operários precisará para cada etapa da obra. É preciso listar e entender qual função cada um desempenhará. Exemplos:

  • Pedreiro, ajudante de pedreiro, servente, mestre de obras e etc.

– Custos diretos: custos dos materiais, rateio, mão-de-obra e etc.

– Custos indiretos: despesas administrativas, tributárias, outras taxas e etc.

– Metragem da área construída: é preciso avaliar a metragem, pois com base nisso se saberá quanto de cada material será necessário. 

E o CUB, o que é?

CUB significa Custo Unitário Básico e é indicado para edificações. Os sindicatos são obrigados a mensalmente divulgar os valores unitários de construção (CUB) que serão adotados em cada região.

Por isso, em todos esses casos, sempre o mais indicado é falar com o engenheiro e o arquiteto para não errar, combinado?

CUB para o DF:

CUB-DFM2

  • OUTUBRO R$ 1.470,36
  • VARIAÇÃO: 3.06 %

CUB-DF M2 Desonerado

  • OUTUBRO R$ 1.384,60
  • VARIAÇÃO: 3.26 %

Composição dos custos

É preciso lembrar que o engenheiro e o arquiteto são as pessoas ideais para realizar todos os devidos acompanhamentos e cálculos.

Aqui estamos trazendo apenas um norte para você que deseja entender um pouco mais.

Exemplo: Custos com a execução do serviço (custo direto = mão-de-obra)

Se você deseja saber quanto custará para realizar uma demanda de alvenaria, deve:

  1. Multiplicar a quantidade de metros quadrados pelo custo total por metro quadrado.

Exemplo: 50m² x 58,85 = R$ 2.942,50

Quer saber mais dicas para sua reforma ou construção? Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro!

Em nossas lojas aqui na Campeão da Construção temos vários especialistas que poderão te orientar na escolha dos melhores materiais de construção para sua obra! Vem para cá!

Leias Mais

TIPOS DE CIMENTOS – UTILIDADES E FINALIDADES DE CADA UM!

Quando o assunto é cimento, eis que surgem milhões de dúvidas…

  • “Será que qualquer tipo de cimento serve para meu projeto”?
  • “Será que o mesmo tipo de cimento serve para todas as finalidades”?
  • “Ou em paredes mais úmidas, o comum é indicado”?

A novidade boa é que hoje, vamos esclarecer alguns tipos de cimentos, combinado?

Olha que curioso… sabia que existem 11 tipos de cimentos?

Uau! 11 tipos distintos! Isso mesmo! Incrível, não é mesmo?

Essas dúvidas e muitas outras você poderá ter respondida aqui, entendendo melhor os aditivos e indicações de acordo com os diferentes tipos de cimentos.

Vejamos alguns tipos de cimentos então, de forma bem objetiva!

Cimento CP I

CP I: Cimento Portland com aditivo de gesso, indicado para obras sem exigências específicas. É um cimento de baixa resistência, indicado para indústrias. Podendo ter 5% de material carbonático em massa.

Cimento CP I-S

CP I-S: Cimento Portland com aditivo comum, possui aditivo pozolânico – permite menos permeabilidade. Cimento mais comum que podem ser inseridos em concretos mais simples que não exige de nenhuma característica mais refinada ou especial.

Cimento CP II-E

CP II-E: Cimento Portland Aditiva com Escória de Alto Forno, seu uso é indicado em obras onde se requer dispersão de calor mais lenta. Esse produto é um superproduto da indústria siderúrgica, podendo ter cálcio, alumínio, magnésio, dentre outros. Causa expansão de material em temperaturas mais baixas.

Cimento CP II-Z

CP II-Z: Cimento aditivado Pozolânico, garante melhor impermeabilidade em sua composição, sendo altamente recomendado em obras subterrâneas e com alta umidade. Dando maior impermeabilidade, entrando em contato com o hidróxido de cálcio, sendo naturais como cinzas vulcânicas, ou artificiais com carvão mineral ou argilas, entre outros aditivos.

Cimento CP II-F

CP II-F: Cimento aditivado de Material Carbonático, exige maior resistência, exemplos de aplicações: concreto protendido, concreto armado, pavimentos e pisos de concreto, pré-moldados. Concentração de 6 a 10% de filer carbonático. Sendo uma matéria-prima com fina moagem de basalto de calcário, entre outros.

Cimento III

CP III: Cimento de alto forno, indicado para obras como esgoto, barragens, pontes ou ainda outros tipos de obras mais simples.

Cimento IV

CP IV: índice maior de polozânico, contendo até 50%. Possui alta resistência e baixa porosidade, indicado a ambientes ácidos e com sulfato, ideal para obras com água corrente.

Cimento RS

RS: Cimento com resistência a sulfato. Indicado em redes de esgoto, por exemplo.

Cimento BC

BC: Cimento com baixo calor de hidratação. Indicado em construções de precisam passar por mudanças de temperatura.

Cimento CPB

CPB: Cimento branco com caulim que pode ter ou não coloração. Possui baixa concentração de manganês. Indicado a rejuntes de cerâmicas.

Mas aí você se pergunta: “Qual tipo de cimento devo usar?”

Na dúvida de qual tipo de cimento utilizar, aqui no Campeão da Construção você pode optar e apostar no cimento extra forte e caso ainda possua alguma dúvida, pode consultar um de nossos especialistas. Você será bem orientado para comprar seus materiais com segurança.

Leias Mais

BANHEIRO PARA CRIANÇAS

Uma das grandes dificuldades de iniciar uma reforma hoje em dia é a escolha de revestimentos de fácil manutenção (limpeza) e que nunca saem de moda. E para este projeto de um banheiro destinado a uma criança não foi diferente. Neste projeto foi utilizado revestimentos em tons neutros, o que proporciona mais amplitude ao espaço e destaque para os móveis e objetos decorativos. Na área de banho, utilizamos um tom amadeirado, trazendo aconchego para o ambiente.

A utilização da base neutra permite maior versatilidade, garantindo espaço à infinidade de objetos decorativos e, neste projeto, torna possível que a criança transmita sua própria identidade nas fases do crescimento, realizando a troca de objetos ou da marcenaria.

Dica para quem quer economizar: aposte em tons neutros e dê ao ambiente o seu toque especial na hora de decorar. Abuse da cor em tapetes, colchas, almofadas, toalhas, peças decorativas e móveis de madeira natural, isso proporcionar sofisticação e aconchego.

No projeto foram utilizados os seguintes revestimentos:

Amadeirado: Porcelanato Savana Canela 90,2X19 cm (Eliane)
Piso e Parede: Porcelanato Cotton 73X73 cm Acetinado (Delta)
3D Fundo do Box: Porcelanato Moscou White 62X62 cm (Embramaco)

Arquitetos Emerson Santos e Evanielle Teixeira

Leias Mais

POLÍTICA DE TROCA E DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS

Para manter a credibilidade conquistada e a satisfação do consumidor, a CAMPEÃO DA CONSTRUÇÃO apresenta sua política de troca e devolução.

*A troca só será permitida na loja que foi realizada a compra.

Ao retirar o produto da loja ou deposito:

  1. Solicite ao funcionário a abertura da embalagem. Caso o produto apresente alguma irregularidade, solicite a substituição imediatamente.
  2. Verifique se o produto encontra-se listado corretamente na Nota Fiscal ou Cupom Fiscal.
  3. Confiram se o produto está acompanhado de seus acessórios (parafusos, buchas, cabos de força etc.), manual de instalação, instrução ou certificado de garantia (caso existam).

Ao receber o produto em sua casa:

  1. Confira a mercadoria no ato da entrega;
  2. Verifique se todos os itens que constam na Nota Fiscal ou Cupom Fiscal foram entregues nas especificações e quantidades corretas;
  3. Os produtos devem apresentar bom estado, não estando danificados ou violados.
  4. Os produtos devem estar acompanhados de seus acessórios (parafusos, buchas, cabos de força etc.).

IMPORTANTE: Caso o produto no ato da entrega estiver em desacordo com o adquirido (avaria, erro de especificação (tamanho, cor, modelo etc.) ou falta de algum acessório), o recebedor DEVE RECUSAR O PRODUTO e a troca será efetuada assim que a mercadoria retornar ao nosso depósito.

Produtos com defeito de fabricação:

  1. No caso de produtos eletrodomésticos, verifique se a rede elétrica está em bom estado, e antes de ligar qualquer equipamento, confirme a tensão da rede (110 v ou 220 v) ajusta-se ao produto;
  2. No caso de aparelhos movidos à pilha ou bateria, certifique-se de que os mesmos estejam corretamente inseridos;
  3. Produtos com defeito ou vício de fabricação, que tenham cobertura de assistência técnica e já tenham sido instalados como: eletroeletrônicos, eletrodomésticos, ventiladores, aquecedores, ar condicionado, chuveiro, torneiras, máquina de alta pressão e ferramentas elétricas. Estes deverão ser encaminhados pelo próprio cliente a assistência técnica do fabricante, para atendimento, dentro do prazo de 30 dias previsto na legislação art.18 do Código de Defesa do Consumidor;
  4. Para defeito de fabricação é necessário a apresentação da respectiva Nota Fiscal e os produtos não podem apresentar mau uso evidente.

A Loja somente comercializa os produtos, sendo o fabricante responsável por resolver problemas decorrentes da fabricação.

IMPORTANTE: A reclamação em decorrência de Vícios só será aceita dentro do prazo de 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias tratando-se de produtos duráveis, nos termos do art. 26 do Código de Defesa do Consumidor.

Não realizamos troca:

  1. Produtos de saldão, mostruário, fora de linha e ponta de estoque;
  2. Tintas preparadas ou produtos pigmentados;
  3. Tintas abertas;
  4. Tinta com validade vencida;
  5. Pisos com lote, bitola e tonalidade diferentes das existentes no estoque do Depósito;
  6. Pisos e Porcelanatos tipo “C” e tipo “B”;
  7. Produtos com sinais de uso ou instalação (riscos, marcas de ferramenta e etc.)
  8. Produtos faltando acessórios ou sem a embalagem original;
  9. Produtos de Corte ou sob encomenda (vendidos em medidas especiais – fios, cordas, correntes, madeira, lonas, esquadrilhas, etc.)
  10. Produtos com defeito por instalação ou manuseio inadequado;
  11. Produtos com avarias decorrentes de queda, acidentes de qualquer natureza e contato com produtos químicos que possam causar danos;
  12. Produtos com danos decorrentes de carregamento, transporte ou montagens realizadas pelo cliente ou por um prestador de serviços contratado por ele;

Crédito Interno:

  1. A troca ou devolução de mercadoria será realizada por meio de crédito interno, onde o valor pago pelo produto retorna como crédito e poderá ser utilizado, na compra de qualquer outro item.
  2. Após validada a troca/devolução de acordo com a política deverá ser emitido o crédito interno que passa a ser nominal, ou seja, deve conter o nome do cliente, RG, CPF e telefone e a assinatura sua validade é de 180 dias depois de gerado para efetuar uma nova compra.

Importante: Não há devolução de pagamento de frete e serviços de instalações em casos de trocas de compras realizadas mesmo atendendo os requisitos do item.

Leias Mais

Efeito ripado

Uma das tendências presentes nas feiras de decoração deste ano é o efeito ripado. Alem da estética, o que chama atenção é a sua versatilidade, tanto em relação a aplicação,quanto a sua materialidade, podendo ser reproduzido em MDF, madeira natural, metal ou revestimento.O acabamento ripado está com tudo e ganha cada vez mais espaço nos projetos de interiores, por sua fácil aplicação, que vai da marcenaria ao revestimento de tetos e paredes. Utilizada a partir de uma repetição das ripas espaçadas esse efeito traz dinamismo para decoração. Falando especificamente dos revestimentos ripados ele  pode ser aplicada em todos os ambientes, sejam eles internos ou externos residenciais ou comerciais.

É bonito, atemporal, permite vários desenhos e pode ser encontrado em diversas cores, ao invés de ter uma parede lisa, por exemplo, o revestimento ripado brinca com a volumetria e profundidade fazendo com que a decoração ganhe movimento.

Ampliando seu uso temos a opção de aplicar em diversas áreas:

  • Em ambientes internos (salas e quartos)

  •  Externas (área gourmet e muros de piscinas)

  • Áreas molhadas (banheiro e cozinha)

Alem de fugir do óbvio efeito ripado traz sofisticação e personalidade aos projetos. Precisa de ajuda para definir qual modelo de efeito ripado fica melhor no seu ambiente? Procure um dos nossos profissionais em uma de nossas lojas.

Texto por Laíse Barbosa / Imagens por Ítalo Moreira.            

Leias Mais

Bancadas em porcelanato

Sabemos que com o passar dos anos, a tecnologia avança cada vez mais e com os porcelanatos não seria diferente. Com isso surgem outras possibilidades para se utilizar essas peças, como por exemplo, em bancadas. A procura por grandes formatos de porcelanatos para montar bancadas de banheiros, cozinhas, áreas gourmet tem sido crescente. A curiosidade de como é feito e quais os tamanhos ideias também. Por isso fizemos esse artigo para esclarecer algumas dúvidas.

Bancadas geralmente possuem uma largura padronizada que variam de 50cm para banheiro e 60cm para cozinhas. Optar por porcelanatos com a mesma largura torna a bancada esteticamente bonita e sem emendas. O mesmo ocorre com o comprimento das bancadas. Quanto mais comprida for, maior deve ser o porcelanato.

O que não quer dizer que não dê para fazer com formatos menores, apenas que esteticamente a bancada terá mais emendas. Com relação à resistência, o porcelanato é fabricado para receber grandes impactos, desde o tráfego de pedestres ao de automóveis, possuindo assim grande poder abrasivo. Então agora é só escolher a cor e textura que mais lhe agradar para sua bancada.

Texto produzido pela arquiteta Evanielle Teixeira e designer de interiores, Alice Andrade.

Leias Mais
icon email mobile
icon mobile telefone