O rodapé serve para dar acabamento à junção entre piso e parede e previne possíveis danos causados pelas tarefas do cotidiano, como o impacto de vassouras ou aspiradores de pó. Os mais comuns são os produzidos com pisos e porcelanatos, mas existem ainda acabamentos em madeira e tinta.

Abaixo dicas para facilitar a escolha:

Altura do Rodapé

A altura do rodapé deve ser proporcional ao da parede, ou seja, quanto maior o pé direito maior pode ser o rodapé. Porém hoje em dia não é comum vermos ambientes com mais de 15 cm ou 20 cm de rodapé. Para paredes com pé direito baixo com até 240 cm, o recomendado é utilizar o rodapé com cerca de 10 cm.

Projeto produzido pela nossa Designer de Interiores Sara Aires.

Rodapé acompanhando o piso

Este tipo de acabamento deixa o ambiente mais harmonioso, além de dar a sensação de maior amplitude. Neste caso, o material utilizado é o mesmo do piso, sendo cerâmicas ou porcelanatos. É importante lembrar: que estes materiais tem maior durabilidade e garantem melhor custo-benefício.

Aqui podemos reproduzir detalhes como frisos e abaulamento nas arestas aparentes.

Rodapé acompanhando a parede

Os rodapés são pintados da mesma cor da parede, por isso devem ser de material que aceitam pintura, como PVC, madeira, MDF, polietileno entre outros. Este modelo dá a sensação de que o pé direito é mais alto já que não há corte visuais na parede.

Rodapé em destaque

Você pode optar por usar o rodapé como destaque na decoração. Solte a imaginação e utilize diferentes materiais, texturas e cores para compor o ambiente, respeitando as escolhas dos materiais principais como tinta e piso utilizados.

Rodapé embutido

São aplicados por uma pequena cava na parede com cerca de 1 cm, dependendo da espessura do rodapé. Os embutidos facilitam a limpeza, pois não acumulam sujeira e ficam com acabamento refinado, uma vez que não há diferença de espessura entre parede e rodapé.