Há muito tempo o Cimento Queimado é utilizado na construção civil, mas o termo teve o seu ‘boom’ há pouco mais de cinco anos, onde começou a ser empregado com mais frequência em áreas residenciais.

Apesar do seu visual remeter ao estilo urbano, industrial e contemporâneo, o cimento queimado pode ser misturado com outras tendências como madeira, cores ou até mesmo acabamentos mais finos como o mármore para quebrar essa característica de cimento e acrescentar personalidade ao ambiente e torná-lo mais a cara do dono.

O método mais comum e também o mais antigo, é literalmente “colocando a mão na massa”, que consiste em misturar cimento, areia e água para formar a massa que é espalhada na superfície junto com o pó do cimento seco e, em seguida, é “queimado” com ajuda da desempenadeira de aço.

Nessa técnica, o cliente vai encontrar materiais com preços mais baratos, além de conseguir um efeito único em seu ambiente. Porém, o ideal é utilizar mão de obra qualificada para evitar futuros defeitos como, por exemplo, trincas que podem aparecer com o tempo ou porosidade na superfície, caso não seja aplicado do jeito correto ou se não for impermeabilizado depois do procedimento. Apesar de se arriscar um pouquinho, o cliente fica muito feliz ao ver um piso ‘inteiriço’, homogêneo e sem necessidades de juntas! Imagina que lindo?!

Projeto criado pela nossa Designer de Interiores Laise.

Em paralelo, existem também outras opções para quem não quer sujeira e deseja praticidade, mas ainda assim quer dar um toque moderno à sua casa, como a tinta com efeito de cimento queimado. Estas são de fácil aplicação e criam um resultado idêntico ao natural nas paredes. Outra vantagem é a limpeza que é bem simples, basta um pano seco para tirar a poeira e possíveis sujeiras do dia a dia. A desvantagem é que essa textura na tinta é indicada para paredes de ambientes internos, nunca para a fachada.

Outra escolha muito comum são os acabamentos em porcelanatos, cerâmicas ou revestimentos, estes são mais resistentes e profissionais dessa área são mais fáceis de encontrar! A vantagem é que tem inúmeras opções de diversos preços e tamanhos, então você pode escolher quanto vai investir nesse efeito. Sem contar na limpeza que é mais prática e fácil! A desvantagem é que sempre precisam de juntas de dilatação (rejunte) quando assentados. No geral, a junta mínima para o piso é cerca de 2 milímetros. Caso queira saber mais sobre rejuntes e juntas, clique aqui!

Este é mais um exemplo de como você pode transformar a atmosfera do seu ambiente com pequenas (ou grandes) intervenções e deixá-lo digno de capa de revista!

Projeto criado pela nossa Designer de Interiores Laise.